sábado, 13 de julho de 2024

Planos de Allyson podem levar Mossoró a votar em um prefeito e “eleger” outro.

Foto: redes sociais

O prefeito de Mossoró Allyson Bezerra (União) tem uma rota traçada em seu caminho político: ser reeleito com uma votação consagradora este ano e no início de 2026 renunciar ao cargo para se candidatar ao Governo do Estado.

Tudo trabalhado com régua e compasso sob as bênçãos oligárquicas do ex-senador José Agripino, presidente estadual do União Brasil.

Aí que surge um dilema que a oposição amadoramente abre mão de explorar: Mossoró corre o risco de votar em Allyson para prefeito e, na verdade, eleger um desconhecido para governar a cidade por quase três anos.

Sim, a tendência é que Allyson puxe um nome de sua “cozinha”, que possa controlar até chegar ao Governo em 2026. Os cotados são anônimos, sem qualquer relação de confiança com o eleitorado.

Em São Paulo em 2012, Fernando Haddad (PT) soube explorar o fato de José Serra (PSDB) ter abdicado ao cargo de prefeito da capital paulista em 2004 para se eleger governador em 2006 e ao enfrentá-lo conseguir conter o favoritismo tucano e ser vitorioso.

O exemplo está aí: a oposição acuada com a popularidade do prefeito nem brios para fazer o enfrentamento demonstra possuir.

O fato é: Allyson tem planos claros e 2024 na sua cabeça é só um trampolim para 2026. Mossoró pode viver o maior estelionato eleitoral de sua história.

Fonte Blog do Barreto

Em Natal, ACM Neto garante apoio integral do partido a Paulinho Freire.

Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (11), o presidente do União Brasil, Antônio de Rueda e o vice-presidente do partido, ACM Neto, estiveram em Natal para o lançamento do Guia do União Brasil – Como montar um Plano de Governo. O evento aconteceu no Holiday Inn, durante a tarde, e contou com a participação de nomes como o presidente do partido no RN, ex-senador José Agripino, dos deputados federais Benes Leocádio e Paulinho Freire, que também é pré-candidato a prefeito de Natal, do prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra, da vice-prefeita de Parnamirim, Kátia Pires e de filiados de municípios de todo o Estado.

Durante o evento, o vice-presidente do partido, ACM Neto, garantiu “apoio integral” à pré-candidatura de Paulinho Freire, e ressaltou que não deve haver qualquer obstáculo pelo fato da sigla participar do Governo Lula e ter candidatura em oposição ao PT em Natal: “Não temos nenhuma conversa com o PT sobre compromisso político nem para 2024 nem para 2026”, disse em entrevista à 98 FM durante o evento. Segundo ele, Paulinho vai receber o teto de recursos eleitorais que o partido autorizar.

“Quando Paulinho colocou a possibilidade de ser pré-candidato, nós na mesma hora achamos que seria um projeto importantíssimo, não só porque tem toda condição de vitória, mas também porque isso vai contribuir para ampliar a força do nosso partido no Rio Grande do Norte.

Portanto, ele vai ter sim o apoio integral do União Brasil, com fundo eleitoral, com suporte para sua candidatura a prefeito em Natal. E em condições de ampliar e construir alianças que permitam que ele possa vencer as eleições e fazer um grande governo”, disse ACM Neto.

Sobre os apoios de Benes Leocádio e Paulinho Freire à pré-candidatura do PL em Parnamirim, ACM garante que os deputados têm autorização para apoiar outros nomes, desde que sejam “exceção”. Ele reconhece que “isso existe em todo o país” e que a base do parlamentar às vezes difere da realidade do partido em alguns municípios.

Paulinho Freire

Já o pré-candidato Paulinho Freire conversou com a 98 FM sobre sua participação no protesto que culminou com a invasão do Idema na última segunda-feira (08). Ele rebateu as críticas com ataques a Fernando Mineiro, um dos principais questionadores da participação dele no protesto.

“É o PT sendo PT. Eles foram acostumados a vida toda a fazer isso (invasões). Não houve invasão.

O que houve é que o segurança abriu a porta e, quando ele abriu, todo mundo quis entrar de uma vez só. Não teve patrimônio público depredado, não houve nada. Ninguém defecou na mesa do diretor lá, como em atos anteriores do PT”, afirmou Paulinho Freire.

Fernando Mineiro (PT) é acusado por adversários de ter defecado na mesa do reitor da UFRN durante um protesto de estudantes em 1984. Nunca houve provas de isso de fato aconteceu.

Segundo Paulinho, o ato no Idema foi “pacífico”, apesar das cenas de violência que foram filmadas e dos ânimos exaltados de alguns manifestantes.

Allyson Bezerra

Já o prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra, continuou mantendo suspense sobre a indicação do nome que deverá compor chapa com ele na disputa pela reeleição. Sempre questionado sobre o tema, ele afirmou, anteriormente, que falaria sobre este assunto após as festividades juninas.

No entanto, afirmou que a partir de agora é que vai ouvir todos os que estiveram ao seu lado durante os anos de gestão e partidos da base para definição.

“São pessoas que estão contribuindo com a gente, dentro desse grande grupo político. Pessoas que já estão contribuindo, dando sua parcela, não só de agora, mas ao longo do processo todo.

Para a gente estar hoje como prefeito, tem participação direta de muita gente. Sou muito consciente disso. A gente vai poder com muita calma analisar. Não tem para que pressa”, disse o prefeito à 98 FM.

Por Carol Ribeiro

Vaqueiro morre após ter mal súbito durante competição em vaquejada no interior do RN.

Foto: Reprodução

O vaqueiro Hélio Pignataro Neto, mais conhecido como Hélio Show, morreu após sofrer um mal súbito na noite desta quinta-feira (11) em uma vaquejada na cidade de Currais Novos, na Região Seridó do Rio Grande do Norte. Ele tinha 44 anos de idade.

Hélio Show competia em uma categoria conhecida como X1 - quando há uma disputa direta contra outro vaqueiro - na vaquejada que acontecia no Parque Sílvio Bezerra de Melo. Ele tinha acabado de derrubar um boi na disputa quando passou mal.

📳Participe do canal do Rio Grande em Dia no WhatsApp

No próprio evento, logo ao notar o mal súbito, o locutor pediu atendimento médico ao vaqueiro, que chegou a ser levado para o Hospital Regional Mariano Coelho, em Currais Novos, mas não resistiu.

A vaquejada foi interrompida e o locutor comunicou aos presentes sobre o falecimento de Hélio Show ainda no local. Segundo o locutor, Hélio sofreu uma parada cardíaca.

Em nota, o Parque de Vaquejada Sílvio Bezerra de Melo, de Currais Novos, comunicou luto "pela perda desse grande vaqueiro que nos deixou enquanto vivia sua paixão pela vaquejada".

"Hélio Show sempre será lembrado por sua habilidade, dedicação e amor pelo esporte. Que sua memória permaneça viva entre todos nós", completou a nota.

Fonte g1/RN

quarta-feira, 10 de julho de 2024

Reobe Costa assume presidência do PDT em Upanema.

Foto: Reprodução

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) em Upanema está sob novo comando. O jovem pedagogo Reobe Costa Felinto assumiu a presidência da sigla, presidida no RN pela ex-deputada Márcia Maia, com a missão de reorganizar os filiados para o pleito que se aproxima, bem como das eleições de 2026.

Reobe, candidato a deputado estadual pelo partido em 2022, sendo o quarto mais votado da legenda, tem experiência e competência em dialogar com jovens, considerando já ter presidido a Associação dos Universitários de Upanema, e durante os últimos 4 anos exerceu o cargo de presidente estadual da Juventude do PDT.

Com a recente executiva formada no município, o PDT busca se afirmar como um partido de novas ideias, pautando o debate político na construção de um projeto sustentável e moderno de gestão, ao lado do grupo político do pré-candidato a prefeito Monthalggan Fernandes.

Por Chris Alves

RN gasta quase 57% das receitas com folha salarial e lidera lista de estados acima do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Foto: Reprodução

O Rio Grande do Norte é o estado do país com o maior percentual de gastos com pessoal - em relação à receita líquida. O RN gastou 56,86% das suas receitas com pagamento de pessoal.

Esse percentual ultrapassa o limite para despesa com pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para o Poder Executivo, que é 49%.

📳Participe do canal do Rio Grande em Dia no WhatsApp

Os dados estão no Relatório de Gestão Fiscal (RGF) relativo ao 1º quadrimestre de 2024, divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Além do Rio Grande do Norte, Minas Gerais (com 50,37%) também ultrapassou o limite estipulado em lei, que é de 49% da receita.

Em junho deste ano o Ministério Público Estadual recomendou ao governo do estado uma série de medidas administrativas para adequação das despesas estaduais à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Entre elas, que o governo não aumente salários, suspenda a criação de cargos e não realize concursos públicos.

Segundo o Tesouro Nacional, a despesa total com pessoal representa os gastos com servidores ativos, inativos e pensionistas, deduzidas as despesas de indenização por demissão de servidores ou empregados; incentivos à demissão voluntária; ou decorrentes de decisão judicial e da competência de período anterior ao da apuração.

De acordo com o relatório, do gasto total com pessoal no RN 60% foi usado para pagamento de servidores ativos e 39% com inativos e pensionistas. 1% foi para pagamento de terceirizações.

Vale ressaltar que a Lei de Responsabilidade Fiscal não prevê punição criminal para os estados que ultrapassam o gasto previsto com pessoal, exceto quando há aumento nessa despesa nos últimos 180 dias de mandato.

Já os Poderes Judiciário, Legislativo e o Ministério Público do RN permaneceram dentro dos limites impostos pela lei.

Fonte g1/RN

Oposição patuense mostra força em nova pesquisa.

Foto: Reprodução

Pesquisa de intenção de voto realizada pelo Instituto Seta em 29 de junho de 2024 e divulgada no sábado (6) mostra o desempenho do pré-candidato da oposição, que cresceu em relação ao levantamento anterior.

Na pesquisa estimulada, ou seja, quando o nome dos pré-candidatos são apresentados aos entrevistados, houve um empate técnico dentro da margem de erro entre Dr. Ednardo (MDB), apoiado pelo atual prefeito de Patu, e Bruno de Carrapicho (PP), que é da oposição.

Neste cenário Dr. Leonardo ficou com 51% e Bruno de Carrapicho com 43,3%. 2,9% dos entrevistados disseram que votariam em branco ou nulo e 2,8% não quiseram ou não souberam responder.

Vale lembrar que no mês de abril, em pesquisa realizada pelo Instituto Agora Sei, Bruno de Carrapicho estava com 31,5% das intenções de voto.

Espontânea

Na pesquisa espontânea, quando o nome dos pré-candidatos não são apresentados aos entrevistados, o resultado apontou Dr. Ednardo em primeiro com 46,3%, seguido por Bruno de Carrapicho com 38,1%, Rivelino 4,3%, Maria José 0,5%, Bigodão e Bodim 0,3%. Já 8,9% não sabem ou não responderam. 1,3% dos entrevistados disseram que votariam em branco ou nulo.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número 00963/2024 e entrevistou 400 pessoas no município de Patu no dia 29 de junho de 2024. A margem de erro é de 4% pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte BSV

segunda-feira, 8 de julho de 2024

Decisão do STF sobre porte de maconha demanda novos procedimentos.

Foto: Pixabay

Os peritos criminais brasileiros aguardam o estabelecimento de novas orientações para o seu trabalho, quando tiverem que examinar maconha apreendida em pequena quantidade pela polícia. A demanda se dá após o Supremo Tribunal Federal (STF) definir que não é crime ter até 40 gramas de cannabis sativa ou seis plantas-fêmeas - que produzem flores ricas no composto psicoativo tetra-hidrocanabinol (THC).

“Com certeza, deverão estabelecer novos procedimentos, até mesmo para deixar bem caracterizada a situação que vai ficar provocada pela decisão”, aponta o perito criminal do estado do Mato Grosso Marcos Secco, presidente da Associação Brasileira de Criminalística, que representa peritos, médicos-legistas e odonto-legistas em todo o território nacional.

Nas sessões que julgaram um recurso extraordinário sobre a posse de pequenas quantidades de maconha, o STF determinou que se uma pessoa for flagrada usando a droga, a maconha será confiscada e o usuário levado à delegacia. O delegado não deverá determinar a prisão em flagrante ou instaurar inquérito, mas registrar o fato como infração administrativa e liberar a pessoa, após notificá-la de que deverá comparecer em juízo para ser ouvida e, eventualmente, receber sanção de caráter não-penal. 

A droga apreendida deverá ser examinada por peritos em laboratório para, por exemplo, identificar a substância e mensurar o volume. Segundo Marcos Secco, faltam definições quanto à obrigação de fazer a pesagem do entorpecente em balança certificada. Além de regras pontuais, o perito imagina que será necessário preparar os laboratórios e os técnicos para nova rotina. “No caso de plantas [confiscadas pela polícia], teríamos que aumentar o serviço de botânica dentro dos institutos de criminalística”, diz o perito. 

Veja aqui os principais pontos de decisão

Advertências 

Quem cometer a infração administrativa por porte de maconha poderá ser advertido sobre os efeitos da droga ou ter de frequentar curso a respeito. Contudo, o defensor público Bruno Shimizu, presidente do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), aponta lacuna nesse encaminhamento.

De acordo com ele, não há na Lei das Drogas (Lei nº 11.343/2006) um procedimento específico para a apuração de infração administrativa. “O STF entendeu que, enquanto não houver regulamentação desse procedimento, a imposição dessas sanções continua a se dar em um processo judicial”. Em sua decisão, o Supremo aponta que as regras definidas pela corte valem enquanto o Congresso Nacional não criar uma nova lei sobre o assunto.

O STF também determina que o governo crie programas educativos sobre os riscos do uso de drogas e forneça tratamento à saúde para dependentes. Essas iniciativas devem envolver diferentes órgãos de Estado. Na articulação de grande parte dessas políticas públicas estará a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e Gestão de Ativos (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Para a advogada Lívia Casseres, coordenadora-geral de projetos especiais sobre drogas e justiça racial da Senad, a decisão do Supremo pode diminuir o estigma sobre as pessoas que consomem drogas e possibilita alcançar essas pessoas “com políticas de verdade preventivas, de promoção da saúde e do cuidado”. Segundo ela, além dos órgãos públicos, a elaboração dessas políticas envolverá a sociedade civil por meio do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad).

“Há vários pontos da decisão [do STF] que ainda [a Senad] não tem total clareza, por conta de ainda não ter sido publicado o acórdão da decisão. Tem muitas complexidades que vão precisar ser pensadas, acho que por todos os poderes do Estado”, diz a coordenadora. 

Ela assinala que algumas definições técnicas não estão estabelecidas, e “vão precisar ser discutidas, amadurecidas, primeiro a partir da compreensão do conteúdo total do acórdão, de tudo que foi decidido pelo Supremo.” O envio do acórdão deverá ocorrer somente em agosto, após o recesso judiciário. Por ora, o STF encaminhou à Senad e outros órgãos apenas a ata com o resumo dos debates e a resolução.

Até mesmo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que é comandado pelo próprio presidente do STF, ministro Luís Roberto Barroso, aguarda o acórdão da Suprema Corte para tratar de novas políticas judiciárias que deverão ser implementadas após a decisão, como a realização de mutirões carcerários para revisar a ordem de prisão de pessoas flagradas com menos de 40 gramas de maconha.

Impacto relativo 

Além de lacunas quanto a procedimentos técnicos e indefinições para formulação de novas políticas públicas, há dúvidas e divergências sobre os efeitos da decisão. O advogado Cristiano Maronna, diretor do Justa, um centro de pesquisa não-governamental sobre a Justiça, teme que o impacto da decisão do STF seja muito pequeno e que a resolução “muda algo para que tudo permaneça como está.”

Para ele, a decisão do Supremo mantém a pressuposição de que o caso é de tráfico, e não de uso recreativo, no testemunho do policial, ancorado em provas como o volume de droga apreendida e, eventualmente, a posse de embalagens, balanças ou registros de venda.

“O tráfico não pode ser presumido. A finalidade mercantil tem que ser provada e tem que ser uma prova corroborada externamente para além do testemunho policial e das provas ancoradas”, aponta o advogado. “O que realmente poderia mudar é qualificar a investigação criminal, chegar de fato a quem é traficante, a quem ganha dinheiro com isso, afinal, se for um negócio bilionário, não é possível que só prenda os miseráveis negros”.

O advogado Gabriel de Carvalho Sampaio, diretor de litigância e incidência da ONG Conectas Direitos, admite que “é preciso avançar muito mais”, mas diverge de Maronna e aponta que a decisão do STF tem efeito importante que parece simbólico, mas que tem muitos desdobramentos na realidade, que é o fato da Suprema Corte reconhecer as injustiças feitas pelo Judiciário e pela polícia na aplicação da lei de drogas.

“A resolução do Supremo passa a constituir uma ferramenta importante no cotidiano, ou seja, não bastará mais a apreensão com a quantidade, uma mera declaração subjetiva da polícia para que o enquadramento seja de tráfico. As pessoas usuárias têm, a partir de agora, uma declaração do Supremo Tribunal Federal de que elas não praticam o crime ao consumir a droga, no caso, a maconha”, avalia.

Fonte Agência Brasil

Confira quem são os pré-candidatos a prefeito de Mossoró.

Foto: Reprodução

No próximo dia 20 começam as convenções partidárias e com as desistências da deputada estadual Isolda Dantas (PT) e da ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP), restam cinco pré-candidatos a prefeito de Mossoró nas eleições deste ano.

São eles:

Allyson Bezerra (União), que tentará a reeleição na condição de favorito; o presidente da Câmara Municipal Lawrence Amorim (PSDB); a ex-vereadora Irmã Ceição; o ex-vereador Genivan Vale (PL); o estudante Victor Hugo (UP).

Os vereadores Tony Fernandes (Avante) e Zé Peixeiro (Republicanos) se colocam como pré-candidatos, mas não adotam uma agenda de quem vai disputar a majoritária.

Tony pode ser vice de Lawrence e Zé, em um eventual, recuo tentar a reeleição.

As convenções serão entre 20 de julho e 5 de agosto.

Por Bruno Barreto

Hora do Rancho: aprenda receita de banoffee.

O quadro Hora do Rancho ensina como preparar uma receita de uma torta de banana especial, a banoffee. A sobremesa traz ingredientes como doce de leite e chantilly.

Criada na Inglaterra, por volta de 1970, a banoffee tem preparação simples e o resultado fica delicioso. Confira o passo a passo:

Ingredientes

. 1 pacote de bolacha maizena

. 2 latas de leite condensado

. 150 g de manteiga sem sal

. Bananas nanicas a gosto

. 1 pote de nata

. Canela a gosto

Foto: Ricardo Custódio

Modo de preparo

Inicie cozinhando na pressão duas latas de leite condensado sem embalagem, com água, por aproximadamente 40 minutos após pegar pressão. Retire as latas e deixe esfriar completamente antes de abrir;

Pegue as bolachas e triture no processador ou liquidificador e acrescente a manteiga aos poucos, até formar uma farofa úmida.

Preencha o fundo da assadeira com essa farofa e leve ao forno pré-aquecido a 180°C por 5 minutos;

Com o doce de leite já frio, retire da lata e leve para panela em fogo médio, mexendo bem, até desgrudar do fundo da panela;

Coloque o doce de leite na forma e, por cima, acrescente as bananas cortadas;

Leve para gelar e bata o chantilly com a nata. Para fazer isso, deixe a nata bem gelada e bata numa batedeira ou com a mão até chegar ao ponto de chantilly. Opcionalmente, coloque um pouco de açúcar na nata;

Por fim, coloque a canela por cima e deixe na geladeira para servir gelado.

Fonte Portal g1

sábado, 6 de julho de 2024

Entenda por que Fernando de Noronha e Distrito Federal não participam das eleições municipais.

Foto: Reprodução

Brasileiros de quase todos os pontos do país vão às urnas em outubro deste ano para eleger novos prefeitos e vereadores em 5.568 municípios. No entanto, há duas localidades em que os moradores não vão precisar comparecer às urnas para escolher gestores locais: o Distrito Federal e o arquipélago de Fernando de Noronha.

Isso acontece porque o DF e o arquipélago não são considerados municípios. Dessa forma, não elegem prefeitos e vereadores.

O Distrito Federal tem uma estrutura diferente de outras unidades da federação. Pela Constituição, o local onde fica a capital do país, Brasília, não pode se dividir em municípios.

Com isso, o DF acumula o gerenciamento de funções que seriam competência de estados e municípios. Há um governador eleito a cada quatro anos, no mesmo ano das eleições gerais (para presidente, demais governadores, deputados, senadores). A última votação foi em 2022 e a próxima será em 2026.

O DF tem ainda uma Câmara Legislativa, com deputados distritais eleitos no mesmo ano que o governador. E é dividido em regiões administrativas, que tem administradores escolhidos também pelo governador.

Já Fernando de Noronha é um distrito estadual de Pernambuco. Pela Constituição do estado, cabe ao governador nomear um administrador-geral para o local, que deve ter o nome aprovado pela maioria absoluta da Assembleia Legislativa. O conjunto de ilhas elege conselheiros distritais a cada quatro anos. A última eleição foi em 2022.

Os moradores do Distrito Federal e de Fernando de Noronha voltam às urnas nas próximas eleições gerais, em 2026, quando estarão em disputa cargos de presidente, governador (inclusive o do DF), senador, deputados.

Fonte Portal g1

Zenaide participa de inauguração do IERN junto com a governadora Fátima Bezerra.

Foto: Reprodução

A senadora Zenaide Maia, presidente do PSD no Estado, participou ao lado da governadora Fátima Bezerra, na noite desta quinta-feira (04), da inauguração do Instituto Estadual de Educação Profissional, Tecnologia e Inovação do Rio Grande do Norte – IERN, Campus Maria do Carmo Ferreira, em Jardim de Piranhas.

Nascida na cidade de Jardim de Piranhas, a senadora Zenaide ressaltou a importância de oferecer uma educação pública de qualidade. " Isso aqui, que a gente tá presenciando, é uma a prova viva que é possível sim oferecer uma educação pública de qualidade. Só depende da vontade política e, essa vontade política, está aqui com a governadora, o prefeito, vereadores e todos que querem o melhor para a cidade”, disse Zenaide.

O prefeito Rogério agradeceu a manifestação de apoio da senadora e da governadora. "Eu vou dizer porquê admiro essas mulheres, porque elas não cansam de irem a Brasília falar com o presidente Lula, e sempre que essas duas mulheres vão na capital do país trazem recursos para o nosso Rio Grande do Norte”, destacou. O prefeito apontou ainda alguns trabalhos que estão sendo desenvolvidos na região, como o projeto Agrovila, e também a recuperação da malha viária do Estado, onde foi incluída a RN 288 que liga Jardim de Piranhas a Caicó.

Participaram da solenidade os deputados estaduais, Dr Bernardo Amorim, Francisco do PT e Ubaldo Fernandes, o vice-governador Waltinho, os prefeitos, Ivanildinhos de Timbaúba dos Batista e Geilson de São Fernando, vereadores, secretários estaduais, secretários municipais, professores, representantes da família da homenageada.

Com PSB, pré-candidato Lawrence já conta com apoio de seis partidos.

Foto: Reprodução

Em evento bastante concorrido, o  Partido Socialista Brasileiro (PSB) anunciou apoio à pré-candidatura de Lawrence Amorim (PSDB) à Prefeitura de Mossoró nas eleições de 6 de outubro. A legenda soma à frente ampla democrática, que já tem seis partidos (PSDB, Cidadania, PT, PV, PCdoB e PSB). Outras siglas deverão se somar à aliança.

Para anunciar o apoio a Lawrence, o PSB reuniu filiados na noite desta quarta-feira, no Érika Buffet, bairro Santo Antônio. O encontro também contou com representantes dos demais partidos da frente ampla, pré-candidatos (a) à Câmara Municipal, lideranças comunitárias e populares.

A presidente do PSB no RN, ex-deputada estadual e ex-vereadora Larissa Rosado, disse que o partido tomou a decisão, de forma unânime, após duas reuniões internas. “Interessante que, na última reunião que definiu o apoio, todas as pessoas opinaram por votar em Lawrence”, contou.

Larissa classificou Lawrence como corajoso por não temer enfrentar o poder, observando, contudo, que mais poderoso é povo, principalmente quem não tem acesso à consulta médica, a exames e ao filho na educação infantil.

“Vamos construir uma Mossoró mais inclusiva, com mais justiça social. Vamos avançar no arco de alianças e trazer mais pessoas, juntar ideias em prol da Mossoró que queremos. Não serei candidata este ano. Mas ‘minha candidatura’ será a candidatura de Lawrence e de cada um que esteja no projeto. Vamos construir essa vitória juntos”, discursou.

Um só partido

Ex-prefeita de Mossoró, ex-deputada estadual e federal, Sandra Rosado classificou o momento histórico, rememorou ensinamentos de Eduardo Campos (líder do partido, falecido há dez anos) e ressaltou antiga afinidade política com Lawrence, que a apoiou duas vezes à Câmara dos Deputados.

“A luta é desafiadora, mas estamos prontos para a luta, não conheço a palavra omissão. Estaremos ao lado de um homem (Lawrence), com o qual já caminhamos muitas vezes e cujas capacidade e a seriedade conheço. Com ele, estamos no caminho certo para tirar Mossoró da ilusão. Vamos superar diferenças, nenhum partido é maior que o outro, somos um partido só.”, conclamou Sandra Rosado.

Mossoró de todos

Lawrence agradeceu o apoio do PSB, o qual saudou como grande partido. Destacou o reforço da legenda à frente ampla de oposição, para a qual, segundo ele, “partidos estão chegando, priorizando que não se vê hoje: diálogo e respeito”. Paralelamente, disse que essas legendas começam a construir plano de governo, com ideias de todas as siglas partidárias.

“Estamos construindo o projeto de uma Mossoró de todos, e não a Mossoró de uma pessoa só para decidir tudo. Com o PSB, os demais partidos da frente ampla e fé em Deus, vamos seguir no propósito de fazer Mossoró uma cidade mais humanizada, que escute e cuide das pessoas”, ressaltou.

‘Vamos tirar Mossoró do autoritarismo e da perseguição’

No encontro do PSB que anunciou apoio à pré-candidatura a prefeito de Lawrence Amorim (PSDB), a vereadora Marleide Cunha (PT) defendeu a união de forças. “Estamos aqui reforçando um sério compromisso: deixar as diferenças de lado, que são normais na democracia, em nome de algo muito maior: fazer uma união para tirar Mossoró do autoritarismo e da perseguição”, discursou.

Acrescentou Marleide: “Vamos dar um basta do que está acontecendo em Mossoró, uma pessoa se achar maior que as instituições. Dia 6 de outubro, vamos dar um basta às mentiras e colocar democraticamente quem vai ouvir as pessoas e atender o povo”, acrescentou a parlamentar, pré-candidata à reeleição.

Adson Magalhães representou a Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdoB). Justificou a ausência da presidente municipal do PT, deputada estadual Isolda Dantas, em razão de agenda na Assembleia Legislativa, e disse “ser uma honra” fazer parte do projeto da frente ampla democrática.

Serviço prestado

Presidente do Cidadania em Mossoró, Nicó Fernandes destacou a satisfação de receber o apoio do PSB. “Um partido com lideranças que tem serviço prestado há décadas. Desde o deputado federal Vingt Rosado”, frisou o pré-candidato a vereador.

Representante do PV, Renan reafirmou que o partido está à disposição do projeto e fez referência aos dois vereadores da legenda, Pablo Aires e Omar Nogueira. Este, no seu discurso, disse que foi uma grande escolha do PSB.

“Está de parabéns, o PSB. Vocês conhecem quem é Lawrence. Um presidente imparcial, homem de diálogo para recuperar Mossoró das mãos de quem está aí, só trabalhando nas redes sociais... E o povo sofrendo. Vamos devolver Mossoró aos mossoroenses”, disse Omar Nogueira.

Fonte Portal De Fato

quarta-feira, 3 de julho de 2024

Rosalba descarta candidatura, mas João Maia fará “última tentativa”.

Foto: Reprodução

Presidente estadual do Progressistas (PP), o deputado federal João Maia estará em Mossoró quinta-feira (4) ou sexta-feira (5), para “uma conversa definitiva” com as lideranças do rosalbismo. Há alguns dias a ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP) lhe comunicou que não será candidata à Prefeitura de Mossoró este ano.

“Vou estar pessoalmente com eles (ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado e Rosalba), para vermos situação de majoritária e nominata,” informou Maia ao Blog Carlos Santos, em entrevista nesta terça-feira (2).

Segundo João Maia, a posição de Rosalba, comunicada ao lado do próprio Carlos Augusto, “em minha casa,” é compreensível. “Ela quer se dedicar a cuidar dele, que está passando por situação delicada de saúde,” retratou.

Contudo, “o combinado” é que voltariam a discutir o assunto, inclusive com o vice-presidente estadual do PP, ex-deputado federal Beto Rosado, sobrinho de Carlos Augusto. “A decisão de Mossoró caberá a eles, tanto em relação à majoritária como no tocante à nominata,” disse.

“Ainda vou fazer a última tentativa,” antecipou.

Por Carol Ribeiro

Unidade Popular pelo Socialismo (UP) terá candidatura própria nas eleições de Mossoró.

Foto: Reprodução

Em plenária municipal realizada na noite de segunda-feira (1º/07) a Unidade Popular pelo Socialismo (UP) definiu que terá candidatura própria nas eleições de Mossoró. O partido deliberou os nomes do estudante da Ufersa e tatuador Víctor Hugo Sousa e Renan Marrocos, que é aluno de RTVI na UERN e coordenador-geral do DCE da instituição, como pré-candidatos a prefeito e vice respectivamente.

Durante a plenária os militantes da UP debateram as pautas que comporão o programa do partido nas eleições e os desafios dos trabalhadores e trabalhadoras diante de um processo eleitoral hegemonizado pelas “mega-candidaturas”.

“Estamos nos apresentando em um cenário em que os trabalhadores e trabalhadoras, que são a imensa maioria dos eleitores em Mossoró, estavam sem representação, sem uma candidatura realmente advinda das camadas populares. Esse é o primeiro processo eleitoral da UP na cidade e temos a certeza que é uma oportunidade ímpar para dialogar com as pessoas e mostrar que elas têm uma alternativa e que o novo sempre virá!” destacou o pré-candidato à prefeitura Víctor Hugo Sousa.

A luta em defesa de reais e concretas mudanças na vida da juventude mossoroense também foi um dos pontos centrais de debate pelos militantes da UP durante a plenária de ontem.

“A juventude preta dessa cidade nunca foi colocada no centro do debate em Mossoró. Enquanto isso, muitos jovens seguem diariamente sendo reprimidos pela polícia, por uma violenta guarda municipal e também pela total falta de oportunidades e esperança em um futuro melhor. Nessas eleições temos a chance de mostrar aos poderosos de que haverá resistência contra os ataques e retrocessos. Seremos nós por nós! Os pretos pelos pretos! Os pobres pelos pobres e o povo pelo povo!” destacou o pré-candidato a vice-prefeito Renan Marrocos.

Diretório Municipal

Durante a plenária também foi definido o primeiro Diretório Municipal da Unidade Popular em Mossoró.

Por aclamação, foi escolhido o nome da estudante de serviço social Bruna Fernandes como presidenta da legenda, tendo como vice o jornalista Cláudio Palheta.

Para o Secretariado Geral foi definida a professora e cientista social Natalia Melo, para a tesouraria o professor e historiador Moises Ribeiro, na pasta de mulheres foi escolhida a estudante de psicologia Rebeca Canário.

Victor Hugo e Renan Marrocos foram escolhidos respectivamente como diretores de juventude e de diversidade étnico-racial

Por Vonúvio Praxedes

No Rio Grande do Norte, mais 23,7 mil famílias já podem se inscrever para receber gratuitamente a nova parabólica digital.

Foto: Reprodução

Moradores de mais 54 municípios do Rio Grande do Norte devem ficar atentos. Cerca de 23,7 mil famílias de menor renda dessas cidades podem ter direito a receber gratuitamente a nova parabólica digital. O trabalho é realizado pela Siga Antenado, entidade responsável por apoiar a população durante a migração do sinal de TV utilizado pelas parabólicas tradicionais (Banda C) para o sinal das parabólicas digitais (Banda Ku).

O serviço é realizado por fases. Desta vez, o agendamento foi aberto em cidades como Campo Redondo, Santana do Matos, Jardim de Piranhas, Japi, entre outros. Com isso, a Siga Antenado passa a estar presente em 135 municípios potiguares, podendo beneficiar cerca de 105 mil famílias.

 A substituição é necessária porque, em breve, as parabólicas tradicionais deixarão de funcionar. Isso significa que quem não fizer a substituição pela nova parabólica digital não conseguirá mais assistir à TV.

Outro problema que o modelo tradicional enfrentará é o risco de interferência no sinal da TV quando a tecnologia 5G for ativada em sua cidade ou região. Como o sinal do 5G é transmitido na mesma frequência da parabólica tradicional, poderão ocorrer chuviscos, chiados, a imagem pode travar e até ser interrompida.

Para ter direito ao kit com a nova parabólica digital, é preciso estar inscrito em um dos programas sociais do Governo Federal (CadÚnico) e ter uma parabólica tradicional instalada e em funcionamento em casa. Quem utiliza outros sistemas de transmissão para assistir à televisão, como antena digital espinha de peixe (instalada no telhado da casa), antena digital interna e TV por assinatura, mesmo que faça parte de programas sociais, não precisa fazer a troca.

O CEO da Siga Antenado, Leandro Guerra, destaca que mais de 3 milhões de famílias em todo o país já foram beneficiadas com a nova parabólica digital. O executivo também destaca os benefícios da nova antena. “A nova parabólica digital oferece melhor qualidade de imagem e de som, programação regional e vai continuar sendo gratuita, como sempre foi”, afirma. “É muito importante que as pessoas procurem nossos canais de atendimento o quanto antes para saber se têm direito ao kit gratuito”.

Para saber se tem direito ao kit gratuito com a nova parabólica digital, o beneficiário deve entrar em contato pelo número 0800 729 2404 ou pelo site sigaantenado.com.br, com o número do CPF ou do NIS em mãos.

 Cidades que tiveram agendamento aberto:

1.      Antônio Martins

2.      Bodó

3.      Campo Redondo

4.      Carnaúba dos Dantas

5.      Cerro Corá

6.      Coronel Ezequiel

7.      Cruzeta

8.      Equador

9.      Fernando Pedroza

10.  Florânia

11.  Ipueira

12.  Itajá

13.  Jaçanã

14.  Jandaíra

15.  Janduís

16.  Japi

17.  Jardim de Piranhas

18.  Jardim do Seridó

19.  João Dias

20.  José da Penha

21.  Lagoa d'Anta

22.  Lajes Pintadas

23.  Lucrécia

24.  Major Sales

25.  Marcelino Vieira

26.  Messias Targino

27.  Monte das Gameleiras

28.  Olho d'Água do Borges

29.  Ouro Branco

30.  Paraná

31.  Paraú

32.  Passa e Fica

33.  Patu

34.  Pilões

35.  Riacho da Cruz

36.  Riacho de Santana

37.  Rodolfo Fernandes

38.  Ruy Barbosa

39.  Santana do Matos

40.  Santana do Seridó

41.  São Fernando

42.  São José do Seridó

43.  São Rafael

44.  São Tomé

45.  São Vicente

46.  Serrinha dos Pintos

47.  Severiano Melo

48.  Sítio Novo

49.  Taboleiro Grande

50.  Tenente Laurentino Cruz

51.  Timbaúba dos Batistas

52.  Triunfo Potiguar

53.  Venha-Ver

54.  Viçosa

segunda-feira, 1 de julho de 2024

Principais restrições do calendário eleitoral começam em julho.

Foto: Marcelo Camargo

A partir deste mês, começam a valer as principais restrições previstas no calendário eleitoral para impedir o uso da máquina pública a favor de candidatos às eleições municipais de outubro. As vedações estão previstas na Lei das Eleições (Lei 9.504/1997).

No dia 6 de julho, três meses antes do pleito, começam as restrições para contratação e demissão de servidores públicos. A partir do dia 20, os partidos podem realizar suas convenções internas para a escolha dos candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores.

O primeiro turno das eleições será no dia 6 de outubro. O segundo turno da disputa poderá ser realizado em 27 de outubro nos municípios com mais de 200 mil eleitores, nos quais nenhum dos candidatos à prefeitura atingiu mais da metade dos votos válidos, excluídos os brancos e nulos, no primeiro turno. 

Confira as principais restrições

6 de julho 

Nomeação de servidores - a partir do próximo sábado (6), três meses antes do pleito, os agentes públicos não podem nomear, contratar e demitir por justa causa servidores públicos. A lei abre exceção para nomeação e exoneração de pessoas que exercem função comissionada e a contratação de natureza emergencial para garantir o funcionamento de serviços públicos essenciais.

Concursos  - A nomeação de servidores só pode ocorrer se o resultado do concurso foi homologado até 6 de julho.

Verbas  - Os agentes públicos também estão proibidos de fazer transferência voluntária de recursos do governo federal aos estados e municípios. O dinheiro só pode ser enviado para obras que já estão em andamento ou para atender situações de calamidade pública.

Publicidade estatal - A autorização para realização de publicidade institucional de programas de governo também está proibida. Pronunciamentos oficiais em cadeia de rádio e televisão e a divulgação de nomes de candidatos em sites oficiais também estão vedados e só podem ocorrer com autorização da Justiça Eleitoral. 

Inauguração de obras - Também fica proibida a participação de candidatos em inaugurações de obras públicas.

20 de julho 

Convenções - A partir do dia 20 de julho, os partidos políticos e as federações poderão escolher seus candidatos para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador. O prazo para realização das convenções termina em 5 de agosto.

Gastos de campanha - Na mesma data, o TSE divulgará o limite de gastos de campanha para os cargos que estarão em disputa. 

Direito de resposta - Também começa a valer a possiblidade de candidatos e partidos pedirem direito de resposta contra reportagens, comentários e postagens que considerarem ofensivas na imprensa e nas redes sociais.

Fonte Agência Brasil

Recuperação da RN que liga Mossoró e Baraúna chega ao trecho mais crítico.

Foto: Carlos Costa

Dentro do Lote 1, do Programa de Restauração de Rodovias Estaduais, as obras de recuperação da RN-015, entre os municípios de Mossoró e Baraúna, chegaram nesta semana em um dos trechos mais críticos da rodovia, situado em área de lagoa e onde é recorrente o aparecimento de buracos devido à umidade do solo na região.

No local, todo o antigo asfalto está sendo retirado para um trabalho mais minucioso e que garanta maior durabilidade. Os demais trechos da obra seguem em ritmo acelerado, com aplicação do asfalto já se aproximando do entorno da cidade de Baraúna e com previsão de ser finalizada ainda esta semana.

O produtor Carlos César falou da importância da recuperação da rodovia para a região: “Essa estrada é muito importante aqui para a gente escoar a safra. Beneficia, de várias formas, como o movimento de carros por dentro da cidade, isso favorece a todos os produtores, já que produção escoa mais rápido pra chegar no seu destino”, relatou.

As obras na RN-015, compreende 44 quilômetros dos 210,5 km contemplados no primeiro lote das ações de recuperação de rodovias do Rio Grande do Norte e foram iniciadas em maio juntamente com a RN-117, entre Governador Dix-sept Rosado e Mossoró, e na RN-177, de Pau dos Ferros a São Miguel, também em ritmo acelerado de execução.

Ao todo, serão aproximadamente 800 quilômetros nos sete distritos rodoviários do Estado, num investimento de R$ 428 milhões, com recursos da primeira parcela do empréstimo no âmbito do Plano de Promoção do Equilíbrio Fiscal (PEF).

“É uma conquista muito importante para a população, porque a estrada, em primeiro lugar, é para zelar pela segurança de quem por ela trafega e pelo bem-estar das pessoas. Ao mesmo tempo, a estrada cumpre vocação muito especial que é promover o desenvolvimento econômico da região”, disse a governadora Fátima Bezerra ao visitar o canteiro de obras, dias atrás.

Aprenda como preparar uma torta de milho com frango.

Foto: Inter TV Costa Branca

Encerrando a temporada de comidas típicas do mês junino, o programa Inter TV Rural deste domingo (30) apresentou uma receita que vai bem no São João e em qualquer outra época: uma torta cremosa de milho verde com frango.

A massa é prática e pode ser feita no liquidificador. O recheio escolhido é frango, mas pode ser substituído por qualquer oura proteína.

📳Participe do canal do Rio Grande em Dia no WhatsApp

Ingredientes

. 450 g de milho verde ou 3 espigas grandes

. 4 ovos

. 100 g ou 1 xícara de chá de flocão de milho

. 100 g ou ½ copo de requeijão cremoso

. 15 g ou 1 colher de sopa de fermento químico em pó

. 100 ml ou ¾ de xícara de óleo vegetal

. 250 ml ou 1 xícara e mais ¾ de xícara de leite

. Sal a gosto

. 500 g de frango cozido, desfiado e refogado

. 200 g ou 1 caixa de creme de leite

. 100 g ou ½ copo de requeijão cremoso

. 70 g ou ½ xícara de azeitonas sem caroço, cortadas

. Cebolinha, sal e pimenta do reino a gosto

. Óleo e farinha de trigo para untar e enfarinhar

Modo de preparo

O preparo da torta começa pelo recheio. Pegamos o frango já cozido, desfiado e refogado e colocamos em um recipiente. Em seguida, adicionamos o creme de leite, o requeijão cremoso, as azeitonas, cebolinha e ajustamos sal e pimenta. Na sequência, misturamos todos os ingredientes.

Após homogeneizar os ingredientes do recheio, reservamos na geladeira.

Para a massa, vamos precisar do liquidificador. Adicionamos os grãos de milho verde, o leite, o óleo, os ovos, o requeijão cremoso e processamos por cerca de um minuto. Depois de misturar um pouco esses ingredientes, entramos com o flocão de milho e temperamos com um pouco de sal. Nessa receita queremos uma massa um pouco mais fina, por isso, vamos processar por 3 a 4 minutos.

Quem preferir uma massa mais grossa, pode bater por menos tempo. Por fim, adicionamos o fermento e utilizamos a função pulsar no liquidificador, apenas para misturar.

Com massa e recheio prontos, é hora de montar. Vamos untar uma assadeira com óleo e depois enfarinhar. Primeiro colocamos a camada de massa. Em seguida, uma boa quantidade de recheio. Utilizamos uma colher para espalhar o recheio em toda área da forma. Por fim, o restante da massa para cobrir o recheio por completo. Por cima, vamos finalizar com cebolinha.

Levamos ao forno preaquecido a 200° até que a superfície fique levemente dourada. Nessa receita a torta ficou por cerca de 40 minutos no forno, mas esse tempo pode variar.

Fonte g1/RN

sexta-feira, 28 de junho de 2024

Gestão de Allyson compra castramóvel e não divulga.

Foto: Reprodução

A gestão do prefeito Allyson Bezerra (UB) até que enfim comprou o castramóvel depois de três anos e meio com o dinheiro da emenda da deputada estadual Isolda Dantas (PT) na conta da Prefeitura de Mossoró.

O veículo já se encontra no pátio da Secretaria Municipal de Saúde. 

Fato que chama atenção é que o prefeito, que sempre faz de qualquer coisa da gestão um mega acontecimento midiático nas redes sociais, resolveu nem falar sobre tal aquisição.

Só da deputada, R$ 140 mil foram destinados para a compra do equipamento que passou por algumas licitações lançadas e depois recuadas.

Ainda existem duas emendas: sendo uma no valor de R$ 200 mil do ex-deputado federal Beto Rosado (PP) e outra de R$ 80 mil do deputado estadual Hermano Morais (PV), ambas para custeio e manutenção do equipamento.

O prefeito tentou diversas alternativas ao castramóvel para evitar que o equipamento fosse adquirido sendo um deles a realização de convênios com hospitais veterinários para a castração de cães e gatos.

Agripino: “Nenhum deputado declarou apoio. Foi invencionice do povo de Taveira”.

Foto: Reprodução

Apesar do anúncio dos deputados federais, na visão do presidente estadual do União Brasil no RN, José Agripino, está tudo “1.000% certo” dentro do partido em Parnamirim e no Rio Grande do Norte. Em conversa com o Diário do RN, nesta terça-feira (25), o ex-senador afirma que o apoio dos deputados federais do União Brasil, Benes Leocádio e Paulinho Freire, à pré-candidatura de Salatiel de Souza, do PL, “não existe” e é “completamente fora da realidade”. Agripino complementa: “Foi invencionice do povo de Taveira e companhia”.

O ex-senador, que se refere ao prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira (Republicanos) e ao seu filho, deputado Taveira Junior, que é do mesmo partido de Agripino. Os dois articularam o apoio dos deputados ao pré-candidato do PL, que, em Parnamirim, é oposição ao União Brasil. José Agripino, inclusive, em tom de superioridade, descarta conversar com o deputado Taveira: “Você acha que eu vou debater com deputado estadual? Com todo respeito. Era só o que faltava”.

Taveira Júnior chegou a reclamar ao Diário do RN de falta de diálogo do partido com ele, em relação às tomadas de decisões partidárias no seu município.

Sobre os deputados federais do partido, o líder partidário afirma que antes da coletiva dos dois parlamentares, se reuniu com eles por cerca de 1h30. O que foi garantido, a partir daí, foi que Paulinho Freire e Benes Leocádio “liberem” seus eleitores em Parnamirim, que são correligionários do prefeito Taveira, para apoiarem o candidato do prefeito, Salatiel de Souza.

“Os deputados Paulinho e Benes tiveram votos em Parnamirim, dados por gente ligada a Taveira e eles liberaram esses votos, quatro mil votos, três mil votos, que são ligados a Taveira e que votaram neles para deputado federal, liberaram esses votos a votarem no candidato de Taveira, que é Salatiel”, disse.

Os dois deputados, no entanto, declaram nominalmente o apoio a Salatiel na coletiva: “Reafirmamos apoiar aqueles que tiveram com a gente em 2022, e nós então vamos apoiar Salatiel”, disse Paulinho Freire; “Já estava (nas ruas) e continuarei o meu projeto em Parnamirim ao lado do prefeito Taveira”, afirmou Benes Leocádio, cerca de três horas antes da fala de Agripino ao Diário do RN.

O ex-senador justifica a negativa do apoio dos parlamentares com a ausência dos deputados à coletiva, que fora concedida, no entanto, por telefone. A entrevista foi marcada pelos dois deputados do União Brasil na sede do PL, em Natal, mas, após atraso, as respostas foram dadas de forma virtual.

“Foram para uma coletiva dar declaração de apoio? Não, não foram não. O que se pretendia era criar um conflito interno do partido, que não foi criado, porque nenhum deles foi para coletiva nenhuma. Nenhum deles declarou apoio a Salatiel ou ao deputado Taveira”, enfatiza.

Apesar da assertiva de Agripino, durante a tarde desta terça-feira, o deputado Paulinho Freire ratificou a oficialização do apoio nas redes sociais. “Unidos por Parnamirim”, “Time forte e alinhado é previsão para sucesso!”, “Deputados Paulinho Freire e Benes Leocádio anunciam apoio a Salatiel, em Parnamirim”, são algumas das legendas de publicações repostadas pelo deputado federal.

Para Agripino, a retribuição aos votos que foram conseguidos pelo grupo de Taveira aos dois deputados, citados por eles durante a entrevista, não significa confronto ao comando do partido. “Vamos ser sensatos, eu diria que está tudo 1000% dentro do União Brasil”, apela.

Quanto a Taveira Junior, apesar de se recusar a “debater” com o deputado do seu partido, Agripino diz que “ele é deputado do partido e o partido pretende manter o mandato dele no União Brasil”.

Entrevista

Diário do RN – O senhor pretende tomar alguma providência partidária em relação aos deputados que declararam apoio à pré-candidatura de Salatiel?

Agripino – Esse seu comentário está completamente fora da realidade. Nenhum deputado declarou apoio. Isso foi invencionice do povo de Taveira e companhia. Os deputados Paulinho e Benes tiveram votos em Parnamirim, dados por gente ligado a Taveira. E eles liberaram esses votos, quatro mil votos, três mil votos, que são ligados a Taveira e que votaram neles para deputado federal, liberaram esses votos a votarem no candidato Taveira que é Salatiel. Foram para coletiva da declaração de apoio? Não, não foram não. Não foram não. O que se pretendia era criar um conflito interno do partido, que não foi criado, porque nenhum deles foi para coletiva nenhuma. Nenhum deles declarou apoio a Salatiel ou ao deputado Taveira.

Diário do RN – A gente tem a fala deles dois, inclusive o Benes dizendo que vai para a rua e temos as fotografias que foram divulgadas pela assessoria.

Agripino – De algum tempo atrás. Nós estamos falando do fato anunciado. Uma coletiva em que seria anunciado o apoio. Você está me perguntando por isso, por esse fato agora. Esse fato aí sim. Esse fato aí sim. Mas aconteceu a coletiva? Vocês viram?

Diário do RN – Aconteceu por telefone, a gente tem a fala deles.

Agripino – Deles quem?

Diário do RN – De Benes e de Paulinho.

Agripino – Dizendo o quê?

Diário do RN – Dizendo que estão dando apoio a Salatiel em retribuição aos votos que foram concedidos em 2022.

Agripino – Isso significa dizer que eles dão apoio, que eles estão confrontando com o comando do partido? Não. Não. Vamos ser sensatos.

Diário do RN – Então, está tudo certo dentro do União Brasil em Parnamirim?

Agripino – 1000 %. 1000%. Eu diria que entre nós, eu, Paulinho e Benes, com quem eu me reuni hoje uma hora e meia, de manhã, está tudo mil porcento. Eles retribuem os votos que receberam de pessoa ligada a Taveira, liberando para votarem em Salatiel. É isso, começo, meio e fim. Eu não sei nem dizer a você, você já tem a informação. Você repetiu com as suas palavras o que eu tinha lhe dito.

Diário do RN – Em relação a Taveira Júnior, que chegou a dizer, anteriormente, que não existia diálogo e que ele sim, realmente, vai com o grupo do pai, o prefeito Rosano?

Agripino – Eu não vou dialogar, você acha que eu vou debater com deputado estadual? Com todo respeito, era só o que faltava.

Diário do RN – Em relação a ele, vai haver alguma sanção partidária?

Agripino – Ele é deputado do partido e o partido pretende manter o mandato dele no União Brasil.

Por Carol Ribeiro

“Calote da CSLL”: Zenaide tenta barrar legalização de “sonegação” tributária de empresas.

Foto: Reprodução

A senadora Zenaide Maia (PSD-RN) trabalha para barrar a aprovação-relâmpago de um projeto de lei (PL 596/2023) que perdoa dívidas de empresas que deixaram de contribuir, por anos, com impostos devidos a título de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). A parlamentar articulou apoio de colegas na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, na qual foi aprovado seu requerimento de realização de audiência pública para que seja revelado o rombo de arrecadação resultante da proposta. 

“Ricos sonegando imposto não passarão no Parlamento! Há uma pressão por aprovação atropelada no Senado, mas pedi uma audiência pública para que seja detalhado o impacto do que sinaliza claramente ser, na prática, uma sonegação fiscal legalizada de empresas que deixaram de pagar imposto sobre lucro líquido por mais de 10 anos no Brasil. Que recado o Congresso vai passar para o país com uma proposta dessas? Que uma pessoa jurídica devedora de tributos dar calote no governo é prática que compensa!”, salienta a parlamentar.

Também assinado pelos senadores Alessandro Vieira, Lucas Barreto e Damares Alves, o requerimento de Zenaide propõe contar com a presença dos seguintes convidados na audiência pública para debater o projeto: representantes da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN); do Supremo Tribunal Federal (STF), preferencialmente especialista em direito tributário; e da Receita Federal do Brasil. 

A parlamentar ressalta ainda o prejuízo social dessa legalização de dívidas tributárias, visto que o governo federal tem buscado aumentar as fontes de arrecadação para financiar programas sociais básicos e investimentos obrigatórios na saúde, na educação, na assistência social e na segurança públicas. “O imposto que essas empresas comprovadamente não pagaram é dinheiro que falta em merenda escolar de crianças e em medicamentos para a população mais carente. Não podemos ignorar essa grave consequência, que é dar para abastados que devem imposto e tirar de quem tem direito a comida e remédio”, frisa Zenaide.

A representante potiguar no Congresso Nacional também afirma que o projeto de lei, ao dispor sobre a remissão de dívidas relativas à CSLL, penaliza o bom contribuinte. “Em nome da transparência e da justiça tributária com o empresário e a empresária que paga seus impostos de forma correta, inclusive com os micro e pequenos empreendedores que alavancam a economia e geram emprego e renda com trabalho duro, vamos jogar luz sobre esse absurdo. É isso mesmo! Algumas ricas empresas decidiram não pagar seu imposto devido, perderam na Justiça e estão quase conseguindo uma lei para validar o calote que deram nos cofres públicos”, critica a senadora. 

A data da audiência será marcada pela própria CAE. Segundo o requerimento, considerando a relevância do tema para a economia nacional e os impactos fiscais decorrentes da proposição, torna-se essencial aprofundar suas discussões sobre as implicações legais e econômicas. “A realização deste debate contribuirá significativamente para o enriquecimento das discussões e fornecerá elementos cruciais para uma análise detalhada e consciente do projeto de lei em questão”, diz o texto.

quarta-feira, 26 de junho de 2024

Gestão Allyson estaria monitorando servidores com “polícia secreta”, afirma ex-servidor.

Foto: Reprodução

“Milícia privada”, “polícia secreta”, superfaturamento e perseguição a servidores públicos. Esse é o rol de fatos graves que estaria ocorrendo na gestão do prefeito Allyson Bezerra (União Brasil). Quem narra os fatos, em forma de denúncia, é o ex-servidor Ronny Holanda, que até sexta-feira da semana passada, 21, estava lotado na Secretaria Municipal de Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito.

Entrevistado pela radialista Jota Nobre, no programa Comando Geral, da Rede Potiguar de Comunicação (RPC), Ronny Holanda disse que decidiu denunciar os fatos por não aceitar o desvio ético da gestão pública. Ele apresentou detalhes de ocorrências graves que estariam ocorrendo na gestão de Allyson, a partir da pasta da Segurança Pública.

Ronny contou que foi contratado, via empresa terceirizada, para o cargo de assistente técnico, mas que, por meio de portaria interna, assumiu a função de inspetor. No entanto, a missão delegada a ele seria de espionar e “dedurar” agentes de trânsitos considerados de “oposição” ao prefeito Allyson. Ele garante que não aceitou essa atividade por questões éticas, o que culminou com a sua saída da parta.

Segundo o denunciante, dentro da gestão de Allyson tem uma “milícia privada”, formada por pessoas desabilitadas para fazer segurança. Ele também identificou a prática de superfaturamento de empresas privadas. Essa denúncia se junta a outras suspeitas que já foram protocoladas no Ministério Público Estadual (MPRN) com pedido de investigação.

Os relatos mais chocantes feitos por Ronny Holanda dizem respeito à existência de uma “polícia secreta”, como existem nas ditaduras, para monitorar servidores públicos. O esquema de vigilância atinge todas as secretarias municipais e tem a finalidade de identificar “servidores de oposição”.

“Quando um servidor denuncia a um vereador que os serviços não estão funcionando bem, esse servidor passa a ser perseguido”, afirmou Ronny. “As perseguições ocorrem com transferências para locais de trabalho mais distante da residência do servidor”, revelou.

O monitoramento dos servidores ocorre nos locais de trabalho e nas redes sociais. A suposta “polícia secreta” vigia os servidores em todas as áreas para identificar se o comportamento está em desacordo com o do chefe do Executivo.

“Esses servidores passam a ser perseguidos de várias formas, temos, inclusive, relatos de ASGs sendo humilhados”, afirmou o denunciante.

Medo

Consciente da gravidade de suas denúncias, Ronny Holanda deixa a entender que teme a reação do prefeito Allyson Bezerra e avisa:

“Se acontecer alguma coisa comigo, foi o Poder Público municipal, porque eu falei coisa que ninguém tem coragem de falar.”

Os áudios da entrevista de Ronny Holanda serão apresentados ao Ministério Público Estadual, com pedido de investigação urgente.

Ronny deve ser convidado pela Câmara para esclarecer denúncias

As graves denúncias feitas pelo ex-servidor Ronny Holanda repercutiram no plenário da Câmara Municipal de Mossoró na sessão desta terça-feira, 25. Coube ao vereador Omar Nogueira (PV) levantar voz e provocar o Ministério Público para investigar o caso.

O vereador, na tribuna da Casa, também sugeriu convite a Ronny Holanda para ele prestar esclarecimentos sobre as supostas irregularidades na gestão do prefeito Allyson Bezerra, a partir da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito (Sesdem).

Omar repercutiu trechos da entrevista que o ex-servidor concedeu ao programa Jota Nobre no Comando Geral, na RPC. Segundo o vereador, Ronny fez várias afirmações sobre assédio moral, crimes praticados dentro da secretaria.

“Essa Casa não pode ficar calada. Vínhamos recebendo várias denúncias de perseguição a servidores. Esse jovem rasgou o véu falando o que vem acontecendo dentro da secretaria”, disse Omar, ao defender convite ao ex-servidor para comparecer à Câmara.

E acrescentou: “É muito séria essa denúncia. Ele fala até em vereadores, que iam até a secretaria para ajustar multas. Várias denúncias envolvendo diretores, secretários dentro da gestão, e até o próprio prefeito. Em todos os equipamentos, a gestão colocou um babão de plantão para perseguir servidores”.

Fonte Jornal de Fato